Colonização açoriana no Rio Grande do Sul

Colonização açoriana no Rio Grande do Sul
Autor: Henrique Oscar Wiederspahn
Formato: Brochura
Disponibilidade: Em Estoque
ISBN:
Preço: R$ 22,00
Qtd:     - OU -   Lista de Desejos
Comparar

A obra apresenta uma tentativa modesta e despretensiosa de uma História açoriana do RS, desde a chegada das primeiras levas dos colonos chamados de “casais de número” até o começo de sua integração na comunidade brasileira sulina, nascida de fato com o início da reação aos invasores hispânicos na Guerra de 1763 a 1777 e da qual resultaria o tratado de Santo Ildefonso. Procuramos assinalar o potencial numérico destes colonos vindos entre 1748 a 1753 das Ilhas dos Açores para Santa Catarina, e daí transferidos para o Rio Grande do Sul entre 1752 e 1754, estes em sua maioria inicialmente destinados a povoarem as Missões Orientais, então, cedidas pela Espanha a Portugal pelo tratado de Madrid, em troca da Colônia do Sacramento, em 1750.

Raro o sul rio-grandense mesmo dentre aqueles que descendem dos povoadores de origem alemã e italiana, que não tenha entre os seus ancestrais também um ou mais destes “casais de número” por via materna, feminina, e até paterna. Seu linguajar português ilhéu, seus usos e costumes e muitas de suas tradições, trazidas com eles dos Açores, continuam vivas tanto no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, como no norte brasileiro, no Maranhão, para onde também casais açorianos haviam sido encaminhados no século XVIII, para reforçar o seu povoamento.

Os colonos açorianos custaram em se adaptar totalmente ao seu novo ambiente, daí começaram a aparecer descendentes seus entre os grandes estancieiros e batalhadores gaúchos a partir do final do século18 ou do início do século 19. Até lá eram simples lutadores anônimos, mas, dos mais operosos e eficientes.

Est Editora © 2019