Resistência da Mulher Escrava

Resistência da Mulher Escrava
Autor: Marilza Kreche Portal Bitencourt
Formato: Papel Reciclado
Disponibilidade: Em Estoque
ISBN:
Preço: R$ 18,00
Qtd:     - OU -   Lista de Desejos
Comparar

Resistência da mulher escrava indica uma questão de gênero, numa situação histórica emergencial da mulher negra brasileira, a situação de escravidão. A escravidão não se justifica, de forma alguma. E a situação da mulher escrava é uma situação de injustiça maior, porque, embora sua importância essencial na família, na vida social, na religião e na economia, é silenciada quase por completo, enquanto o homem escravo é o trabalhador, o servo, a força, o idealizador de tarefas desde as mais simples às mais opressivas. Este trabalho faz uma abordagem da escravidão do Brasil em geral, e depois, específica sobre o escravismo no Rio Grande do Sul e procurou desvelar as relações entre senhores e escravas, salientando que essas relações se processaram através de concessões de prêmios e estratégias em que senhores e escravos atuaram como sujeitos, desmistificando a concepção do escravo em geral e da mulher negra escrava em particular como coisa.

Outra questão levantada é: Resistência ou dominação escrava? Esse questionamento se fez necessário para reinterpretar o significado de resistência e como essa se processa no regime escravista, e as estratégias utilizadas pelas mulheres como forma de burlar a dominação senhorial. Foi abordado também o aspecto familiar como instituição escrava que serviu de sustentação à cultura e à forma de resistência ao sistema escravista.

Ano: 2004

Edição: 1ª

Editora: EST Edições

Idioma: Português

Páginas: 56

Papel: Ofício

Est Editora © 2019